Sobre a programação para crianças

Posted by on Jul 15, 2015 in Articles | Comments Off on Sobre a programação para crianças

Sobre a programação para crianças

Sobre a programação para crianças

 

O movimento Hour of Code e as suas iniciativas, com o objectivo de revelar a importância da programação nos dias de hoje, já ganhou o suporte de grandes personalidades. O convite para a experiência de durante uma hora programar algo tem sido aceite globalmente e tem-se mostrado de especial relevância para as crianças. Em Inglaterra, a programação já faz parte da base curricular, no ensino básico. Por cá, o Ministério da Educação criou um projecto piloto de inscrição voluntária por parte das escolas, com vista à existência da iniciação à programação no ensino básico para o próximo ano lectivo.

Mas, de que se trata realmente quando falamos de programação para as crianças e porque é que está a assumir uma importância tão elevada?

Quando falamos de programação, somos levados a imaginar o cenário de alguém em frente a um computador a escrever linhas de código para a construção de programas com um determinado fim. Ainda que seja um cenário real, numa perspectiva educacional o cenário é outro. A programação assume uma posição relevante em várias áreas de conhecimento e que tem impacto na percepção que temos do funcionamento do mundo actual.

Na sua essência, programar consiste em pegar num problema, desafio ou questão e encontrar uma estratégia para o resolver de forma eficiente. Problemas ou desafios que podem ser de natureza mais ou menos técnica, mais ou menos artística ou até mesmo simples questões do dia a dia.

Programar implica trabalhar conceitos tais como, decomposição, abstração, percepção de padrões e capacidade de resiliência, sempre através de tentativa e erro. Ao adquirirem estes conceitos, mas mais importante, ao testarem com práticas, as crianças vão certamente ganhar mais aptidão para enfrentar os desafios da sua aprendizagem, seja por exemplo para conceber uma figura geométrica ou até para escrever um texto sobre as suas férias.

A utilização de conceitos de programação aplicados em contextos educativos remonta talvez à linguagem LOGO. Seymour Papert mostrou que através de práticas com algum pensamento computacional, as crianças conseguiam aprender mais facilmente conceitos matemáticos e linguísticos. A partir daqui surgiram outras ferramentas e trabalhos reforçando que o domínio dos conceitos de programação dá autonomia, poder e liberdade na aprendizagem, fazendo com que as crianças avancem ao seu próprio ritmo sem receio de errar, porque errar também faz parte do processo.

Tal como aprender música não implica que vá ser músico de profissão, a aprendizagem da programação básica não implica que todos vão ser programadores informáticos. Estamos a falar de valências estruturais, de um novo tipo de literacia para a compreensão do mundo em que vivemos, que solidificam e enriquecem o conhecimento.

Várias ferramentas são actualmente usadas para treinar estes conceitos. O Scratch do MIT, que usamos nos nossos workshops, o KODU ou os robôts Dash & Dot que chegaram recentemente à nossa família são alguns exemplos.

 

Humberto Neves

humberto.neves@ardozia.com

@hjneves

ardozia.com

 

Kids controlling robot - Legos